A lei existe, agora o difícil é a adequação, vai depender muito da cidadania de cada um

0
166

Deficiente mostrando quão dificil é andar em Eunápolis   (foto Pbarbosa)
Deficiente mostrando quão dificil é andar em Eunápolis (foto Pbarbosa)

Na tarde desta 3ª feira a reportagem do rota51.com deparou com uma cena, no mínimo intrigante, quando uma pessoa com deficiência física, precisava se locomover pela av D. Pedro II, e de cadeira de rodas, tudo tornou para ela, praticamente impossível.

Na rua as pedras do calçamento, totalmente desniveladas, acabavam prendendo as rodas da cadeira de rodas e a pessoa ficou praticamente no lugar durante um bom tempo.

No passeio os desníveis das calçadas praticamente sem ninguém em seu auxílio, o cadeirante, acabou parado no mesmo lugar.

A referida pessoa mora no bairro Dinah Borges de onde vem de taxi e quando demora muito, acaba vindo rodando seu próprio veículo. Ele faz parte dos 30 mil passageiros portadores da gratuidade, mas os ônibus não tem, o elevador que permita que uma cadeira de rodas, tenha acesso ao interior do ônibus para o seu transporte.

Por outro lado, existem em alguns em que foram feitas rampas para acesso de cadeira de rodas, mas muitos motoristas mal educados estacionam seus carros, não permitindo tal acesso e agora os passeios, tornam a situação insustentável.

Para tanto, é preciso que seja feita uma campanha, onde os comerciantes comecem a adequar seus passeios, propiciando a estas pessoas com deficiência, idosos, pessoas que usam aparatos que os ajude a andar para que todos possam se locomover com mais tranquilidade. É muito fácil, quando alguns lojistas, comprem cones e os coloquem em suas portas impedindo que motoristas estacionem seus carros o que é proibido por lei, mas adequar seus passeios para que os cadeirantes se locomovam com facilidade é mais difícil, para isto é preciso que todos aprendam o que ser cidadão e pratiquem o ato da verdadeira cidadania.

[nggallery id=128]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui