Dia do Jornalista, uma missão quase impossível.

0
209

Máquinas que escreveram a história do jornalismo  (foto Google imagens)
Máquinas que escreveram a história do jornalismo (foto Google imagens)

Mas não deixa de ser uma missão, jornalista não se cria, jornalista não se faz, jornalista não como de juntássemos muitos ingredientes para fazer um jornalista, o JORNALISTA, ele já nasce feito, ele desde cedo começa a elaborar seus textos e dá mostras do que vai ser no futuro.

O jornalista  que quer ser independente, mostrar tudo com clareza sem se macular com a podridão de uma falsa democracia, ele tende a sofrer um pouco. Não pode criticar, não pode cobrar, não pode mostrar a verdade escondida por trás de políticos falsos, que é execrado, esquecido e até mesmo perseguido, é como se fosse uma ditadura militar particular e só progridem os que se aliam a uma atitude pornográfica por trás de cada paletó e gravata.

Mas é excelente ser jornalista, principalmente quando a faculdade ou universidade estudada, vem de berço, das redações e oficinas do antigo compunidor, dos tipos, das antigas máquinas de impressão, e que hoje são poucos, e que eram chamadas tipografias, depois veio a linotipia, as máquinas em off set, em seguida outras formas mais avançadas e chegou o momento da informática, a era do computador.

Quando falo disto por que é a minha origem da qual tenho maior orgulho e é exatamente este orgulho que eu tenho é que me impele à minha maneira em homenagear a todos os profissionais do jornalismo, os com diploma e os sem diploma, mas que fazem da verdadeira ética, o diploma maior.

Portanto a todos nós que lutamos que vamos ás ruas, que buscamos informações, que temos a agucidade de buscar os fatos, de retratar os fatos que enfrentamos ameaças de morte de agressões, ameaças de processos, é isto que valoriza ainda mais a profissão e dignifica a nossa arte.

Muitas vezes quando buscamos mostrar a violência que o governo não quer ver, a violência que o governo quer colocar debaixo do tapete, a violência das ruas, onde as drogas matam os jovens, não lhes dando tempo nem de conhecer um pouco mais o mundo, é neste momento que somos  odiados pela sociedade corrupta e hipócrita, mas somos nós, o porta voz da mesma sociedade medrosa quando ela quer bater e esconder a mão, mas é isto mesmo, somos nós os JORNALISTAS que em todos os tempos, cada um ao seu modo, mostrar as carências e as necessidades de uma sociedade que nos execra, mas que depende de nós.

Bons ou ruins, excelentes ou ótimos, péssimos e intransigentes, somos nós JORNALISTAS, que trabalhamos e que muitas vezes não somos pagos pelo nosso trabalho, somos nos JORNALISTAS, que mostramos o mundo obscuro através das nossas lentes,  mas que muitas vezes, deparamos com algumas pessoas que investem da profissão de jornalista, se dizem assessores, mandam releases e querem que os publiquemos de graça, como se ganhássemos tudo para a sobrevivência do dia a dia.

Em muitos casos até mesmo nossos colegas de profissão, nos prejudicam com o pedido “quebra este galho para mim”, mas se esquecem que na nossa casa todos os dias tem “meio dia”, que no final do mês, nossas contas precisam ser pagas, mas é isto aí, são os ossos do ofício, afinal ser JORNALISTA tem suas vantagens e percalços, e por esta estrada, muitos competentes ou não já passaram e muitos outros haverão de passar.

Mas para você que como eu ganha o pão de cada dia com o suor honesto do seu rosto, só mês resta solidarizar com você e dizer: “ parabéns pelo nosso DIA DO JORNALISTA”, e tem mais, nós somos obrigados a ensinar como se faz um bom jornalismo, mesmo que eles, os outros não aprendam, mas esta também é nossa missão; “ensinar ser de verdade, o que com a verdade se faz história”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui