Uso excessivo de salto alto pode provocar lesões e deformidades nos pés

0
175

Dr. Ricardo cordeiro  MSV
Dr. Ricardo cordeiro MSV

Um bom exemplo é o caso da apresentadora Xuxa, que adquiriu uma lesão resultando em seu afastamento da TV

Sapatos de salto, ícones de beleza e elegância em toda mulher, são o objeto de desejo da maioria delas, nas mais variadas idades. No entanto, seu uso em excesso traz custos à saúde e muitas vezes passa despercebido, podendo provocar lesões e deformações nos pés e tornozelos, como o joanete, entorses no tornozelo, tendinite, dores nos joelhos e até mesmo problemas na coluna. Mesmo existindo o risco, é válido lembrar que nem todas as mulheres vão adquirir essas lesões.

Há quem diga que faz esse sacrifício pela beleza, em que muitas mulheres vaidosas argumentam que depois de um longo tempo de uso, faz com que o corpo se acostume, não sentindo mais dores. Contudo, é aí que está o perigo. Se esse risco existe para mulheres maduras, imagine para as meninas mais novas que se lançam no uso constante de salto alto desde cedo. Algumas pesquisas foram feitas, analisando 100 jovens entre 13 e 20 anos, onde 50 utilizavam salto constantemente e as outras 50 não. A conclusão foi de que quanto mais precoce é o uso, maior será a chance de adquirir problemas graves na coluna.

Um caso muito comum no início do ano foi afastamento da apresentadora Xuxa, que adquiriu uma doença muito comum no pé esquerdo por conta do uso prolongado desse tipo de calçado: a sesamoidite. Segundo boletim médico divulgado, as causas do problema podem ser as mais diversas, contudo, o caso dela foi exclusivamente pelo salto alto, que resultam numa inflamação dos pequenos ossos da parte de baixo dos dedos dos pés.

Cuidados básicos

De acordo com o Dr. Ricardo Cordeiro, ortopedista da Cotef, clínica especializada em ortopedia e traumatologia, em Itabuna, o uso de salto alto indiscriminado pelas mulheres pode gerar diversos problemas no sistema músculo-esquelético, como, por exemplo, deformidades nos pés, desgastes nos joelhos e quadris e alterações posturais ao nível da coluna vertebral etc. “No meu ponto de vista e muito evidenciado na prática diária em meu consultório, a maior complicação do uso desse tipo de calçado é o encurtamento da cadeia músculo-esquelética posterior – grupamento muscular que se estende desde a ponta dos pés até a região nucal. Com isso, podem surgir vários tipos de dor e em localizações diversas. E como diagnosticar esse problema? Aí, só com exame físico ortopédico detalhado”, explica Ricardo.

Para evitar esses problemas as mulheres têm que alternar o uso do salto alto, deixando para ocasiões especiais. Não é necessário que deixe de usar, afinal, é quase impossível modificar toda uma cultura feminina. Optar por modelos mais confortáveis para o dia-a-dia e manter um bom alongamento das pernas e pés podem aliviar mais problemas, sem que tenha que abrir mão do salto.

MSV Soluções em Comunicação Ltda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui