Agentes de saúde terão piso nacional

0
202

Vereador João Lopes defendendo na CME o salário de servidores na saúde (foto PBarbosa)
Vereador João Lopes defendendo na CME o salário de servidores na saúde (foto PBarbosa)

Em Eunápolis, esta é a bandeira de luta em favor dos agentes de saúde e de endemias, encabeçada pelo vereador Dr. João Lopes, pois como médico, sabe e conhece de perto a realidade do pessoal que faz a saúde na cidade e que, há mais de 10 anos não sabe o que é ter um reajuste digno pelo trabalho prestado a toda a comunidade e, com a votação e aprovação do projeto do Congresso nacional a luta do vereador vai ficar ainda mais reforçada, agora a nível de administração regional.

 

A Câmara dos Deputados aprovou ontem a proposta que fixa em R$ 1.014 o piso nacional para os agentes comunitários de saúde e de combate a endemias, com jornada de 40 horas semanais. Reajustes anuais também são previstos no texto aprovado, um parecer do deputado Domingos Dutra (SD-MA) ao Projeto de Lei 7495/06, do Senado.

 

Deputados comemoram aprovação do projeto de lei que define o piso salarial dos agentes de saúde e de combate a endemias


O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, em pronunciamento antes da votação, lembrou as dificuldades para incluir a matéria na pauta do Plenário, mas ressaltou a importância do piso para a categoria.  “Esta é uma noite histórica desta Casa. Eu sei o que tive de caminhar para chegar até aqui. Esta Casa sabe das dificuldades para pautar esta matéria, há oito anos tramitando no Congresso Nacional. Mas valeu a pena a paciência, a perseverança. Quantas vezes não tivemos que avançar, em outras recuar, para construir este belo painel de unanimidade ”, afirmou o presidente.

Município define atualmente os salários

 

“Então que fique esta noite como um exemplo e um estímulo aos futuros presidentes desta Casa que vale a pena lutar com perseverança, com paciência, com serenidade pela altivez e pela independência do Poder Legislativo. Esta Casa tem que ser sempre a casa do povo brasileiro”, afirmou Henrique Alves em seu pronunciamento.

Ele ainda lembrou a participação dos agentes de saúde do Rio Grande do Norte que, em todos os fins de semana, sempre o aguardavam em Natal na chegada e na partida para Brasília para cobrar a votação da proposta. Logo após o encerramento da votação, agentes de saúdes e parlamentares cantaram o hino nacional no plenário. A matéria foi aprovada em votação simbólica e deve retornar ao Senado devido às mudanças feitas pela Câmara.

Reajuste

Relator pela comissão especial que analisou o tema, Dutra aceitou emendas dos deputados Andre Moura (PSC-SE) e Leonardo Gadelha (PSC-PB). Além de fixarem esse valor, as emendas preveem, a partir de 2015, aumento real equivalente à variação positiva do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. A sistemática é a mesma aplicada ao salário mínimo atualmente. Os valores também serão corrigidos anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Para Andre Moura, a aprovação da matéria foi possível devido ao cumprimento da palavra pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, de pautar o projeto.  Para ajudar no pagamento dos novos salários, o projeto atribui à União a responsabilidade de complementar 95% do piso salarial. Em decreto, o Executivo federal poderá fixar a quantidade máxima de agentes que poderão ser contratados com o recebimento do auxílio financeiro da União. O texto aprovado cria um incentivo financeiro a ser pago pelo governo federal aos estados e aos municípios para fortalecimento de políticas relacionadas à atuação de agentes comunitários de saúde e de combate às endemias.



DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui