Réu é absolvido depois de amplo debate em júri bem longo.

2
375

Edmundo ouvindo a sentença.    foto Pbarbosa
Edmundo ouvindo a sentença. foto Pbarbosa

O julgamento começou por volta das 08h30m, com a escolha dos jurados pelo Juiz Presidente MM. Dr.  Otaviano Sobrinho com o aval, do Ministério Público representado pelo promotor Dr. João Alves e pelo advogado de defesa Dr. Alex  Ornelas com a participação do Dr. Ramiro Criador.

Depois foram ouvidas as testemunhas num total de 5, veio o intervalo do almoço e a julgamento recomeçou em torno das 14h30m.  No banco dos réus, Edmundo da Silva Santos, residente na Colônia há pelo menos 43 anos.

No dia 2 de janeiro de 2005 por volta das 128h45m, houve um homicídio na Colônia onde Walas dos Santos Silva e seu irmão Weverton dos Santos Silva, mataram no referido distrito Joilson Nascimento Lopes Santos, o crime aconteceu em 02 de janeiro de 2005, na residência de José Batista, na rua Casemiro de Abreu 13, sendo que Joilson estava telefonando e, depois de invadirem o imóvel, Joilson foi imobilizado por Weverton e logo a seguir seu irmão Walas deflagrou um tiro a queima roupa em Joilson que faleceu no local. Os dois irmãos já foram julgados e Walas foi condenado a 14 anos e Weverton a 13 anos de reclusão e estão presos cumprindo a sentença.

Mas nesta 2ª feira, 02/06, foi julgado o pai dos assassinos, Edmundo da Silva Santos e a acusação é de que Edmundo, concorreu para o crime dando fuga aos filhos logo após eles terem matado Joilson e, ainda de ter guardado a arma do crime e de tê-la entregado depois à policia, na época o Delegado que fez as diligencias e ouviu todos os envolvidos foi o Dr. Moises Damasceno.

Na acusação esteve o Promotor Dr. João Alves, que ao iniciar a sua participação, elogiou a postura do advogado Dr. Alex Ornelas e do Dr. Ramiro, falando da competencia dos dois advogados e que ele teria muito trabalho neste júri. Dr. João,  muito técnico se ateve ao processo, demonstrando aos jurados a participação de Edmundo, chegando a mostrar para os jurados que  Edmundo chegou antes do crime e deu fuga logo após o mesmo ser cometido, Dr. João como sempre, muito eloquente, mostrou aos jurados que a justiça tem que ser feita, pedindo a condenação do réu. Este processo já teve vários advogados, sendo que um deles chegou a enviar um atestado médico parta o Fórum, o que impediu a realização deste julgamento há pelo menos uns 30 dias atrás, e chegou a dizer que o Judiciário eunapolitano esta investigando que o atestado era falso, e foi usado somente para protelar o julgamento. Usando todo seu tempo, Dr. João demonstrou toda a sua habilidade, para que o réu fosse condenado a saber que ele concorreu para o crime, dando fuga aos filhos e ainda entregando a arma do crime.

Dr. Alex Ornelas mais uma vez, surpreendeu a todos quando começou a sua oratória, também mostrando aos jurados a inocência do Réu, quando testemunhas disseram que ele chegou entre 1 a 2 minutos após o crime  e que ele como qualquer outro pai, procuraria o mais rápido possível tirar os filhos do flagrante. Dr. Alex, também demonstrou que quem realmente cometeu o crime foram, os dois irmãos e, que eles já estão pagando pelo crime. Em momentos tecnicamente agressivos, Dr. Alex usou de toda a sua eloquência para a defesa do réu. Dr. Alex disse que faria a defesa de seu cliente, com os testemunhos das testemunhas de acusação e foi o que ele fez, buscou em todos os pontos do processo, inclusive com as sentenças proferidas por desembargadores, dando conta de que o réu, Edmundo, nada tinha a ver com o crime, e culpou todo envolvimento de Edmundo ao delegado á época Dr. Moises dando conta de que fez muita coisa errada e chegou a chama-lo de escritor de novelas, pela forma como conduziu a oitiva das testemunhas no processo investigativo.

Vieram os intervalos e veio a réplica, com Dr. João reiterando todas as acusações e demonstrando total culpabilidade de Edmundo, e devolvendo as muitas das insinuações ao Dr. Alex quando fez a sua defesa, na réplica o discurso do Dr. João foi mais brando, confirmando apenas a culpabilidade do réu, demonstrando alguns erros  cometidos durante a elaboração do processo, mas que isto não impediria a condenação de Edmundo, mostrando aos jurados, a responsabilidade deles em fazer com que a justiça fosse feita, Dr. João chegou a dizer que muitas testemunhas foram anteriormente intimidadas pelo réu. Na tréplica, Dr. Alex também adotou a mesma postura de antes, buscou incessantemente a defesa de seu cliente, mostrando aos jurados que Edmundo era um réu fabricado por erro da policia judiciária e que condenando o réu, estariam condenando um inocente, e os debates com Dr. João foram intensificados, cada um, mostrando que o Réu deveria de um lado ser condenado e de outro absolvido.

Após os debates, todos foram para a sala secreta onde foi feita a votação e depois de mais ou menos 1 hora, todos retornaram a sala do júri, onde o MM. Juiz Dr. Otaviano Sobrinho prolatou a sentença e, ás 23h20m, o réu Edmundo Silva Santos foi absolvido pelos 7 jurados, sendo 6 homens e 1 mulher. Próximo Júri será na próxima 2ª feira  09/06/2014 às 08h30m.

[nggallery id=285]

2 COMENTÁRIOS

  1. Onde ando ouço falar que esse e o maior advogado criminalista da nossa região, apesar de ser um jovem, mas com muito conhecimento e talento. Não conheço pessoalmente, só de nome, mas fico feliz em
    Saber que em Eunapolis existe um
    Grande advogado que não se declina com medo para com a justiça, para com o promotor. Junior

  2. Concordo plenamente com o comentário postado, tive a oportunidade de conhecê-lo uma certa feita, soltou meu primo que teve um problema. Foi tão seguro no que falou “trabalharemos incansavelmente até o resultado positivo” depois que havia se passado 03 advogados no caso. Dr Ornelas sabe o que faz e domina conhecimento. Prata da casa! Parabéns!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui