Religião, cidadania e trabalho infantil, quem quer discutir estes assuntos?

2
378
Editoriais
Editoriais

O Ministério da Educação e Cultura retirou da grade curricular de todas as escolas, o ensino religioso, quando se fala de ensino religioso não é para discutir religiões, mas os ensinamentos de Cristo,  e hoje com esta imensidão de denominações religiosas, então fica mais difícil ainda, por que o chamado Cristão, para ele a melhor é a sua religião, e não Cristo, para tanto as aulas de religião deveriam ser como há muitos anos atrás, ministradas pela própria professora, que inclusive levada as crianças para a 1ª comunhão, mas as várias denominações ao invés de unir os homens como pregou Cristo, faz exatamente o contrário, mas cada um é que tem de carregar a sua cruz, isto a saber que a Bíblia não declara nenhuma religião e a verdadeira religião é usada para outros fins.

A cidadania, antigamente existia na grade escolar uma matéria chamada Moral e Cívica e mais tarde OSPB Organização Social Politica Brasileira, mas também o MEC retirou da grade e as crianças hoje, vão a escola, aprendem o que querem aprender, o professor que antes era o mestre ou a mestra, hoje serve de saco de pancada de alunos mau educados, eles não tem educação familiar e muito menos a escolar, os pais de hoje, deixam que os professores sejam educadores totais, eles trem de ser  pais, professores e tudo mais, mas se um professore colocar um aluno de castigo, o professor é processado e pode até perder o concurso de acordo com a denuncia, em suma, o professor finge que ensina e o aluno finge e que aprende, e quando professor não completa a sua nota pra passa de ano, mesmo sem saber nada corre o risco de apanhar em plena sala de aula, mas enfim, é o MEC.

Trabalho escravo, um jovem não pode trabalhar antes dos 15 anos, é trabalho escravo, e quem ousar empregar um jovem mesmo que seja apenas para que ele não fique na rua, representante do conselho tutelar tão logo recebem a denuncia, já vão com a policia prender a pessoa que quer tirar das ruas, do uso e tráfico de drogas, um adolescente. Mas sem saber nada, como pode um jovem sobreviver aos seus desejos? Mas a história é outra, todos nos vemos na televisão crianças trabalhando em novelas e isto também é trabalho mais escravo ainda, imagine uma criança decorar textos por horas e horas a fio, para fazer tudo certinho, imagine se houver um erro de gravação, eles têm de fazer tudo outra vez, e onde estão as autoridades que cuidam das crianças? Isto nos arremete a um pensamento imediato, “filho de pobre não pode trabalhar por que é trabalho escravo, mas pode aprender a usar drogas e a traficar se transformando em um aviãozinho desde os 10 anos”, mas o filho de mais ou menos ou um rico, pode trabalhar na televisão que não é trabalho é diversão, são dois pesos e duas medidas que a lei nos joga na cara e nada poderemos fazer.

O Congresso Nacional não aprova a menoridade penal, mesmo que um jovem de 16 ou 17 anos, tenha nas mãos uma arma e mate um pai de família que vive somente para cuidar de seus filhos e de sua família, mas este mesmo assassino pode votar e eleger um prefeito corrupto, ou um congressista irresponsável, isto por que uma pessoa de sua família ainda não foi vitimada por um jovem de 16 ou 17 anos, o dia que uma filha ou filho de um congressista morrer nas mãos de um traficante, aí sim, eles vão depressa votar uma lei que puna o menor assassino, por que até agora ele so pode ser chamado de menor infrator ou em desacordo com a lei, o dia em que o brasileiro se unir e fizer uma paralização denominada “Brasil Vazio” e exigir que sejam feitas as reformas tributárias, politicas, penais e educacionais, o Brasil será outro País, o Brasileiro não gosta de ir aos EUA visitar Orlando dentre outros Estados americanos? Então estes mesmos brasileiros precisam aprender com os americanos duas coisas essencialmente necessárias para ser um povo ordeiro, primeiro, “ser Patriota” e depois exigir dos congressistas que façam leis para serem cumpridas por que promotores responsáveis e juízes honestos o País tem muitos, o que faltam são leis para que eles possam agir com os chamados “rigores da lei” e, quem não gostou do que eu escrevi, que se dane, aprendam a votar, leiam a constituição federal ou vão ao fórum de Eunápolis e vejam o que um promotor faz para manter a lei e o que um juiz faz para mante-la em favor de uma sociedade que nem sempre merece os legisladores que tem, tudo isto fora a corrupção em todos os estágios que consome o dinheiro da saúde, da educação e da segurança.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. concordo com Reporter Paulo Barbosa..
    O carater do Cidadão e o reflexo do MEIO EM QUE ELA VIVE.
    NO RESUMO E A POLITICA QUE GERA O CAOS EM BENEFICIO PROPRIO

    NÃO DEIXANDO DE LEMBRAR DAS aUTORIDADES CIVEIS E ECLESIASTICAS HONESTAS QUE REALMENTE SE PREOCUPA COM O CIDADÃO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui