Judoca eunapolitano: menino foi competir em Curitiba e reencontrou a mãe após 13 anos

0
181

Participando em Curitiba-PR dos Jogos Escolares da Juventude, que acontecem desde o último dia 12/09, o atleta eunapolitano Rafael Gonçalves de Souza, de 14 anos, protagonizou uma história emocionante. A despeito de não ter ganho medalhas na competição esportiva para a qual se preparou, realizou um sonho que até agora parecia impossível.

Rafael reencontrou a mãe, de quem foi separado quando tinha apenas 20 meses de vida. Em 2003, ainda bebê, o atleta foi deixado pela mãe, dona Noélia, com o pai dele, na cidade de Eunápolis-BA, com o compromisso de revê-lo tão logo estabilizasse a vida em outro lugar, o que não foi possível.

À medida que foi crescendo e sentindo a ausência da genitora, o atleta sempre manifestava desejo de procurá-la. Anos de ansiedade e angústia do menino que crescia sem conhecer a mãe, até que em janeiro deste ano, através da internet, Rafael conseguiu contato com um dos seus irmãos, Daniel Santos, que reside em Curitiba, passando a articular o contato.

O encontro entre mãe e filho não era viabilizado por falta de recursos. Entretanto, por uma extraordinária coincidência, Rafael, judoca sub 15 e aluno da 9ª série da Escola Modelo Municipal Antonio Batista, situada no bairro Juca Rosa, em Eunápolis, foi classificado para disputar os Jogos Escolares da Juventude, que acontecem justamente em Curitiba, onde reside sua mãe.

O atleta chegou a falar por telefone com sua mãe há pouco mais de 15 dias, deixando certo o reencontro durante os jogos. Tudo acertado, Rafael viajou para a competição como componente da equipe baiana de judô, sendo acompanhado do seu treinador Evandro Mares e pela diretora de Esportes da Secretaria de Educação de Eunápolis, Taís Campos.

Dias antes do encontro, sem que Rafael soubesse, dona Noélia sofreu um AVC e ficou internada em um hospital da capital paranaense para recuperação. Outra coincidência aconteceu: na segunda luta que participou nos Jogos Escolares o atleta sofreu uma lesão no tornozelo que praticamente o tirou da competição, sendo encaminhado para atendimento, sem que ele soubesse, no mesmo hospital onde estava internada a sua mãe.

Ali ocorreu o encontro entre o filho lesionado e a mãe quase inconsciente, que conseguiu apertar longamente a mão do filho que não via desde bebê, há 13 anos quando deixou a cidade de Eunápolis. Rafael teve contato também irmãos que não conhecia.

À reportagem do canal Sport TV, Rafael detalhou sua história lamentando que dias antes do reencontro tenha ocorrido o incidente que a levou para o hospital. O atleta destacou que se não fosse pelo esporte jamais teria imaginado estar em Curitiba para viabilizar o sonho de conhecer sua mãe e seus irmãos.

Rankeado como número 1 do judô baiano sub 15, Rafael vem participando de competições de judô com resultados positivos este ano em Salvador-BA e em Vitória- ES. Neste último ficou em 3º lugar da Região 3 do Campeonato Brasileiro, credenciando-se para seguir em frente, representando a Bahia em jogos desta natureza, compondo este ano a equipe estadual que foi aos Jogos Escolares da Juventude em Curitiba. O atleta chega a Eunápolis no próximo fim de semana.

 

Ascom/Educação

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui