Câmara tem sessão com solicitação do executivo de verba suplementar ainda em discussão.

0
346

Depois da chamada e, com quórum para a sessão esta foi iniciada, com a leitura da ata da sessão anterior sendo aprovada, foram lidas as matérias d pauta e as correspondências, foi feito o intervalo regimental e em seguida o pequeno expediente. Falaram os vereadores Jota Batista e Jurandir Leite, ambos vereadores falaram do pedido suplementar de verbas, feito pelo prefeito, no valor de R$ 400 mil reais, na realidade o pedido total é de R$ 1.6000.000,00, que deveria ser para ressarcir a empresa Eunapolitana de transportes urbanos, pelos prejuízos que ela vem sofrendo, com a deslealdade dos “clandestinos” também chamados de irregulares ou clandestinos, já que a empresa anunciou anteriormente a retirada de 70% da frota dos serviços da cidade.

Além das discussões, todas as indicações e projetos que estavam na pauta para serem votados foram aprovados, incluindo os 30% de aumento dos guardas civis municipais.

Imediatamente o prefeito saiu em socorro da empresa e solicitou da CME autorização para um empréstimo suplementar o que não agradou alguns vereadores, dentre eles, Jota Batista e Jurandir leite, que falaram no pequeno expediente e retornaram no grande expediente com um discurso mais inflamado, dando conta de que, está é uma ação que a população não pode pagar, pois de acordo com Jota Batista, Robério estourou a sua verba oficial e agora quer que a população pague pelo seu erro. Para Jota, esta é uma discussão ampla, mas que faz parte do acordo entre o prefeito e o dono da empresa, o ex vereador Adelson do Alecrim e, que isto constitui um crime eleitoral, improbidade administrativa como uma organização criminosa e que precisa ser investigado pelo Ministério público, para Jota batista isto se tornou uma esculhambação administrativa. Pois deve ter sido feito um acordo entre as partes, como seção de ônibus para a campanha da filha e, agora vem esta solicitação totalmente indevida. Jota Batista pediu a reprovação do projeto.

Já o vereador Jurandir Leite, além do discurso inflamado, mencionou que deve ter sido feito um acordo entre as partes, como seção de ônibus para a campanha da filha e, agora vem esta solicitação totalmente indevida. Jurandir citou os precatórios que deveriam ter sido pagos com, valores bem menores, a pessoa simples, há 10 ou 15 anos, mas pediu aos companheiros que não aprovassem o pedido, dizendo que este projeto não pode passar. Vejam o discurso de Jurandir Leite nesta edição:

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui