A política de Eunápolis começou aqui.

0
614
Dr. Ramos e3 seu filho Rômulo (in memoriam) e o repórter Paulo Barbosa

Para muitos a história não conta ou não interessa, mas a política de Eunápolis começou realmente depois que o médico Dr. José Ramos Neto, então deputado estadual, trouxe a tira colo, a careta de independência de Eunápolis até então conhecida como 64, e que pertencia a Santa Cruz Cabrália e a Porto seguro, ou seja, era partida no meio, tinha dois prefeitos, mas nenhum deles, fazia nada pelo então 64, até que um deputado ousado, preocupado com a emancipação político administrativa da região, Dr. Ramos,  trouxe a emancipação e, daí surgiram os prefeitos e vereadores próprios, mas com os mesmos problemas.

Problemas estes que, exceto Dr. Feruk e Arnaldo Guerrieri, todos os demais e eleitos pelo povo eunapolitano, tiveram problemas com a justiça, são 2 deles afastados e o outro, na ponta da tábua de graxa.

Dr. Ramos, seja talvez o 3º deles a se preocupar com Eunápolis, aqui montou seu hospital e, elogia seu comportamento e, muita gente até hoje, ainda sente saudades do médico que foi, humano mas sem se prostituir e por isto tinha o comportamento austero, mas sem deixar de ser humano, assim dizem alguns que precisaram dele e foram servidos.

Talvez a sua maior mágoa, tenha sido o homem que lutou pela cidade desde o seu início, e nunca se tornou prefeito de sua própria terra. Médico, honesto, sempre teve um comportamento digno e talvez por isto, durante sua vida política nunca tenha sido eleito, por não fazer o jogo do “toma lá, da cá”. Depois de ver tantas administrações desastrosas, corruptas, tiradas a força do jogo político pela justiça, mas que ainda com a cabeça fora d’água, tentam não morrerem afogados no mar da corrupção, e querendo continuar dando ordens, colocam prepostos em seu lugar, outros, já decidiram se afastar e cuidar dos próprios negócios, mas outros, lutam para se manterem no poder, a todo custo. Foram professores sem pagar, falência da saúde de Eunápolis que era responsabilidade do estado, municipalizaram e agora está do jeito que está.

E povo pede uma 3ª via, esta via apareceu, como pré candidato Ramos Filho, com as prerrogativas de ser o homem que poderá dar a cidade um novo rumo e uma nova dimensão administrativa, mas o povo insiste em apoiar quem manipulou as contas municipais, a justiça caçou mas o povo ainda teima em dar a cidade, o algoz que puxa a alavanca e solta a corda.

Ser oposição todos podem ser, mas uma oposição sadia, de homens para homens, mas de homem para corruptos, aí a forca é a única saída, para quem pede justiça, mas que quer, os corruptos para poderem pagar as suas contas.

Nesta matéria, alguns vereadores, do tempo em que o vereador não ganhava nada, outros que já começaram a ter seus proventos, eram ao todo 10, agora 17, poderão ser 19, exceto os opositores, no mais é tudo a mesma coisa, fora as tendências, é a forca no pescoço do eleitor. E quando quiserem reclamar das editorias ou matérias, rem que reclamar com o jornalista, pois reclamar com os outros, é jogar conversa fora. Esta matéria continua, com novas informações…aguardem. Destacando MILTON  GUERREIRO, diretor legislativo, que trabalha no legislativo deste o seu início em Eunápolis, antigo 64.

OBS: Nas fotos, a imagem autorizadas de vereadores da velha guarda, ainda faltam muitos.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui