Empresários mostram otimismo diante da retomada do Distrito Industrial de Eunápolis

0
226

-O diretor de Gestão Patrimonial e de Engenharia da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Clériston Teixeira, reuniu-se, na tarde desta quinta-feira (20), em Eunápolis, com empresários locais instalados ou interessados em se instalar no Distrito Industrial para tratar sobre melhoria para o empreendimento. O encontro foi no espaço de eventos da Revendedora Brasmoto, na Avenida Castro Alves, 118, no centro da cidade.

Neto Carletto – Foto: Ascom

Segundo o representante da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o distrito industrial deve passar por reformulações podendo adotar um modelo de gestão compartilhada a cargo da Prefeitura Municipal ou ainda transformando-se em condomínio privado que será administrado por uma associação de industriais.

Na exposição do tema, o engenheiro Clériston Teixeira foi questionado por alguns empresários sobre o resultado desse modelo de gestão e assegurou, respondendo ao público, que “este modelo já é adotado com sucesso nos distritos industriais de Santo Antônio de Jesus e Luís Eduardo Magalhães como estratégia para acelerar a interiorização industrial e promover a atração de novos investimentos”. Enfatizou.

MOTIVAÇÃO

A vinda do diretor da SDE a Eunápolis foi motivada por uma solicitação do empresário Neto Carletto, que é pré-candidato a prefeito de Eunápolis e também tem o interesse na instalação de um polo moveleiro e na ampliação do empreendimento para que possa gerar mais empregos e renda para o município.

A iniciativa foi aplaudida por vários empresários, entusiasmados com a expectativa de que haja uma melhoria na infraestrutura do Distrito Industrial de Eunápolis, limpeza, implantação de linhas de ônibus, pavimentação das ruas, coleta e licença ambiental e o fim das invasões de alguns lotes.

O engenheiro Silvio Romério, que foi secretário de Desenvolvimento Econômico de Eunápolis de 2001 a 2005 elogiou o empenho de Neto Carletto e sugeriu que a gestão local apresenta vantagens no sentido da solução para os problemas estarem mais perto dos empresários.

“Espero que agora possamos viabilizar o Distrito Industrial de Eunápolis que existe há mais de 20 anos e não garante os resultados que esperamos no sentido de desenvolver o potencial industrial da cidade”. Concluiu.

Já a auxiliar administrativa Misma Cardoso apontou que o DI tem problemas relacionados à infraestrutura, “como a sinalização do sistema viário, deterioração da pavimentação e dos passeios, falta de tratamento paisagístico, entre outros, além de questões relativas à falta de segurança, invasões, drenagem de águas pluviais e ao licenciamento ambiental”.

Ao final do evento, Clériston Teixeira anunciou que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Bahia vai analisar o resultado desse encontro, que já é o terceiro, desde a mudança que lei, com o objetivo de analisar quais são os atuais desafios para o Distrito e propor ações de recuperação, modernização ou inovação para o espaço físico e para o conjunto de indústrias nele existente, visando à ampliação da competitividade industrial.

LEI Nº 13.571

O diretor da SDE, Clériston Teixeira, explicou que o órgão era o responsável por fazer a manutenção e gestão dos distritos industriais no Estado. Até que, em 2016, o governador Rui Costa sancionou a lei nº 13.571 de 18 de agosto de 2016 alterando leis anteriores. “Essa lei permitiu que a extinta Sudic passasse a gestão dos distritos para as prefeituras onde os distritos estão instalados ou as associações das empresas que ali estão instaladas. Hoje com essa prerrogativa dentro das atribuições da SDE, estamos avançando nesta nova modelagem”, contou Teixeira.

DI DE EUNÁPOLIS

Distante apenas 4Km do centro da cidade, o DI tem logística privilegiada, pois se encontra à margem esquerda da BR-101 (sentido Salvador), principal rodovia regional para escoamento de produtos para as regiões Nordeste e Sul do país. Sua interligação com o sistema viário regional é feita por meio da BR-367 (Porto Seguro-BA a leste e Minas Gerais a oeste) e BR-101 (Itabuna ao norte e Espírito Santo ao sul)

Segundo estudos da SDE, a produção do distrito é muito expressiva no setor de materiais de construção, principalmente pré-moldados e artefatos de concreto.

Atualmente o Distrito Industrial de Eunápolis conta com 500 mil m². O distrito passa há algum tempo por dificuldades, principalmente relacionadas à manutenção e à infraestrutura, como iluminação precária e falta de segurança. Trabalhadores das empresas reclamam do acesso, da falta de uma rotatória em frente ao DI, da falta de sinalização dentro e nos arredores do distrito e das precárias condições da coleta de resíduos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui