Ministério Público e Meio Ambiente, se reuniram com músicos para definir abusos na cidade.

0
555

Primeiro foi uma reunião com donos de casas, que tem seus barzinhos e que fazem música ao vivo, por não estarem de acordo com a lei, estas casas tem 2 saídas, ou se adequam ou mudam de ramo, da mesma forma os músicos.

Já com os músicos, a reunião foi nesta manhã, com o representante do Ministério Público, o promotor Dr. João Alves, o secretário de meio ambiente Pedro Vaillant, e os músicos, embora nem todos estiveram presentes, mas os que estiveram na secretaria de meio ambiente, ouviram e debateram com Dr. João, qual a conduta de agora para a frente, que os músicos terão de tomar se quiserem continuar cantando na cidade.

Entrevista com Dr. João Alves:

-Na realidade, embora o maior prejuízo seja para os músicos, mas são as casas de shows que terão de se adequar ao que manda a lei, porém os músicos terão grande parte nesta responsabilidade. Para Dr. João, tem muita gente que tem um barzinho, mas nem tem espaço para tal, colocam mesas nas calçadas, colocam o som e, não se importam nem com os vizinhos e nem com as leis ambientais. Entrevista com Sec de Meio ambiente Pedro Vaillant:

Depois Dr. João explicou como vão ser as coisas daqui pra frente, como serão dadas as licenças para apresentações, para tanto, serão feitas vistorias, se o som é permanente ou sazonal, e se uma licença for dada pela secretaria de meio ambiente, e não estiver de acordo, é o secretário quem responderá criminalmente pelo ato, portanto, som a partir de agora, primeiro o local terá de ser vistoriado, depois então é que a licença poderá ser dada, Dr. João também explicou que ele responde a leis federal e estadual, não adianta arranjar padrinhos ou até mesmo vereadores, ou a coisa é feita dentro da lei ou não é.

Dr. João citou a ação policial neste fim de semana, onde um barzinho, o HOT, na av Norte e Sul,  acabou ficando sem o som e sobretudo ainda vai pagar multas pelo abuso cometido. Depois Dr. João disse que ao seu tempo, bares e restaurantes com cadeiras e mesas nas calçadas, igrejas com som alto, todos terão de ajustar contas com a lei, e trabalhar dentro dos padrões e normas exigidas por lei. Entrevista com Rony Brasil:

Rony Brasil ao final, deu uma ideia de uma comissão, para realizar estudos, que foi aprovado pelo Dr. João, para então depois, uma reunião conjunta.

Depois a reportagem do rota51.com fez entrevistas, que estão dispostas nesta matéria, como forma de simplificar de como foi a reunião.