Sessão da Câmara desta 3ª feira 02/06, foi muito tumultuada, Jota Batista, foi chamado a atenção por Ramos Filho e Jorge Maécio.

0
350

A sessão ia normal, quando foi aberta por Paulo Brasil, uma discussão que já se pensava acertado, mas foi o estopim, de tudo, a junção de dois projetos com discussões diferentes, a dos professores e a do comercio da cidade e tudo virou uma bola de fogo, botando fogo nas discussões do dia.

Para a maioria, a discussão do projeto dos professores seletivados, que ainda é uma dúvida, se paga ou não paga, sendo que a maioria dos vereadores, é a favor do pagamento, pois devido a pandemia do coronavírus, os seletivados perderam seus empregos e salários, já que o prefeito passo a foice em tudo e agora , muitos estão até sem como para pagar aluguel, fazer feira e a situação se tornou um constrangimento para todos, então este projeto deveria ser votado em separado, como foi acordado antes, por este motivo não sessão na 5ª feira 28/05, ficando para hoje 3ª feira 02/05.

Porém contrariando tudo, Paulo Brasil, buscou unir os dois projetos, o dos professores e o do comércio e a maioria dos vereadores, não gostaram e pediram o desmembramento dos projetos, sendo que Jota Batista afirmou que Paulo Brasil tentou  mudar a situação, pois na reunião de 5ª feira, nem na câmara ele esteve, o que foi entendido, que Paulo Brasil estava defendendo os interesses do prefeito e não o do povo, a partir daí os discursos mudaram o rumo da sessão.

Jota Batista defendeu a tese de que cada coisa deveria ficar no seu devido lugar, o que foi corroborando por Ramos Filho, mas Ramos Filho disse que primeiro deveria ser discutido o projeto de decreto, dos professores, e depois o do comércio, pois quanto ao toque de recolher a justiça já tinha definido como improcedente, até aí, Jota Batista, foi coerente com a situação, pois todos esperavam que hoje seria julgado a situação dos professores e não foi, aí já estava instalada a discordância. Jorge Maécio, para aumentar a discussão, citou a esposa de Jorge Maécio como sendo uma professora.

Jorge Maécio, em um dos seus discursos, falou ao vereador Jota Batista, que ele tem todo direito em discursar, mas que não colocasse a sua família no centro das discussões, pois isto ele não permite nunca, pois o que Jorge fez, foi tentar apagar o incêndio, ele, Jorge Maécio, deixou a presidência com o vereador Xinha e foi á tribuna falar sobre a situação, dizendo que quando a “coisa” dá certo, ninguém fala nada, mas quando dá errado, a culpa é da Câmara de vereadores, e com razão, pois fora deste tempo de pandemia, ninguém vai à câmara ver o que está acontecendo, mas quando a barriga dói todo mundo vai à câmara e muitos ainda desrespeitam o Regimento Interno da casa, se pronunciando quando não deve. Pois para isto as entidades têm uma representante legal, surge então aí, uma discussão entre Jota Batista e Paulo Brasil.

Jota Batista, mais uma vez voltou a criticar o prefeito, dizendo que está deixando a cidade desmantelada, destruída, sem educação, e quando um professor vai ao banco pegar o seu salário, so recebe 150 reais; invocando o art. 114, do regimento interno, dizendo que o vereador Paulo Brasil, nem sequer esteve presente na discussão. Jurandir Leite, também se pronunciou, sobre o “decreto da fome”, quando se penalizou os comerciantes, quando citou um funcionário da prefeitura, que extrapolando suas funções, fechou pequenos comércio no bairro Dinah Borges, mas a saber que o fechamento se deu devido a um decreto do prefeito municipal, e depois voltou a falar sobre o decreto dos professores, que foi amplamente discutido na 3ª feira passada, sendo que esta discussão, foi entre os vereadores a representantes da OAB, o presidente Dr. Léo Maia e o conselheiro Dr. Alex Ornelas. Jurandir confirmou o seu voto em favor dos professores.

Retornando à tribuna, Ramos Filho, disse que desde menino, ele sempre tomou suas decisões de acordo com suas convicções, que vota o projeto dos professores, e na sequencia o do comércio, mas que as decisões não são unilaterais, mas sim de um colegiado, Ramos filho disse que não vota contra os professores, e perguntou à presidente da APLB, Jovita Lima, se ela queria o desmembramento do projeto, ou se votaria do jeito que estava, e ela disse que era a favor do desmembramento, foi quando Ramos Filho, colocou Jota Batista, em uma saia justa, pois Ramos Filho disse que Jota Batista, só ele quer ter razão, só ele que é inteligente,  e que os demais vereadores são analfabetos, que só Jota Batista tem razão, no auge do seu discurso, Ramos Filho pediu a suspensão da sessão, para que todos, chegassem a um consenso, de desmembramento dos projetos. Depois disse que como Jota Batista não é candidato a reeleição, mas tem alguém que será. Outro que entrou na discussão foi Aderbal que disse que daria uns conselhos a Jota Batista e que um deles seria procurar um psicólogo, sendo que Jota Batista, dispensou os conselhos e por questão de ordem rebateu o aparte de Aderbal.

Arthur Dapé e Jurandir Leite, depois de encerrados os discursos, quiseram voltar a discursar, mas Jorge Maécio, disse que, neste momento quem era o presidente era o vereador Xinha e que ele não poderia intervir na decisão de Xinha.

Uma coisa que acontece na câmara, é que o presidente anuncia sempre, que quem quiser discursar, tem dois expedientes, o pequeno e o grande expediente, e que todos os vereadores, precisam se inscrever, como manda o regimento interno, e ninguém se manifesta, e deixam para falar sempre na última hora, se inscrevendo sempre no último momento. Isto demonstra que os mais falantes, não respeitam o regimento interno, e vereador que não respeita o regimento interno, às vezes tem dificuldade em respeitar o povo, u legislativo austero e presente, tem que começar a respeitar suas próprias leis, que são as que regem a sua própria casa.

Devido ao desmembramento dos projetos dos professores e o do comércio. Mais uma vez as sessão serão alteradas, que serão realizadas na Câmara Municipal de Vereadores, à av Artulino Ribeiro bairro Dinah Borges.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui